Top

Entrevista Gustavo Arns – Idealizador do Congresso de Felicidade

 

Conversamos com Gustavo Arns, idealizador do Congresso Internacional de Felicidade durante o primeiro dia da segunda edição, realizada na Ópera de Arame em Curitiba.

 

Ele nos contou um pouco de sua trajetória de vida e de como surgiu este Congresso focado no que existe de mais essencial para a vida humana, que é o encontro da felicidade, partindo do equilíbrio entre corpo, mente e espírito.

 

Durante os poucos minutos em que estivemos ao seu lado, pudemos sentir o carinho e a gratidão que ele recebia das pessoas à todo momento, que passavam por nós cumprimentando-o, agradecendo-o, algumas unindo as mãos em referência ao cumprimento “Namastê”.

 

Segue abaixo a entrevista gentilmente concedida por Gustavo ao site Cosmopolitas:

 

Como surgiu a idéia do Congresso de Felicidade?

 

Gustavo Arns: Você sabe que de alguma forma, desde a minha adolescência eu me envolvi com eventos, com festas, com palestras, com congressos, com cursos, com aulas… Então quando surgiu essa idéia de fazer um Congresso em Curitiba, que juntasse pessoas de uma área que eu gosto, que é o autoconhecimento, não foi uma coisa muito assustadora, foi uma coisa natural. Eu venho de uma família por um lado muito católica por parte de mãe e por parte de pai uma coisa mais buscadora, mais ecumênica, como a gente vê aqui no Brasil, vai levar um passe em algum lugar, vai fazer uma energização em outro, então… A idéia do congresso surgiu sentado em outro congresso, eu falei “Cara, por quê não tem um desse em Curitiba?” e ai eu fui contando para as pessoas e as pessoas foram se envolvendo e isso é resultado de muitas mãos nessa massa.

 

Como é estar novamente aqui na Ópera de Arame, um ano depois da primeira edição do Congresso, quando tudo começou, concretizando o II Congresso de Felicidade?

 

Gustavo Arns: Você sabe que ano passado eu falei que só iria fazer aquele, era para fazer um, a gente não iria fazer mais, mas foram tantos feedbacks de tantas pessoas, tão positivos, as pessoas foram tão tocadas que a gente falou que não tem como parar, então é de novo a realização de um sonho, é incrível estar aqui, essa energia é incrível, é fantástica!

 

Como você vê a receptividade das pessoas do Brasil inteiro que vem para o Congresso de Felicidade em Curitiba?

 

Gustavo Arns: Nossa, gente do Brasil inteiro mesmo, mesmo, gente de super longe, que vem e que tem que vir e que estão preparados para vir, preparados para receber o que está aqui e que de alguma forma foi tocado, foi impactado por uma divulgação. É uma alegria, uma honra, um prazer imenso e eu recebo esses agradecimentos todos, eu recebo muito ciente de que eu sou só um instrumento, eu recebo, mas não é pra mim.

 

O que é o Prêmio Propagadores de Felicidade? Você poderia falar um pouco sobre ele?

 

Gustavo Arns: Este é o segundo ano do prêmio, ano passado fizemos uma homenagem para a professora MonSerrat, uma das primeiras professoras de Yoga de Curitiba e foi uma homenagem tão singela, tão bonita que pensamos “Por que a gente não torna isso uma coisa anual?” Aí pensamos no prêmio, e o prêmio é isso, honrar estas pessoas que de alguma forma contribuíram com toda a sua vida para esse mundo que a gente acredita, mais justo, mais fraterno, mais feliz. A professora Neyda Nerbass Ulysséa (homenageada durante esta edição do Congresso) tem essa caminhada fantástica, ela fez Congressos como este há quarenta anos atrás, então é uma coisa linda!